Páginas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Caracóis Dinamarqueses


Adoro caracóis doces. Sim, porque os outros ainda não me convenceram. Mas, tenho que lhes dar uma segunda hipótese. Até porque o palato, tal como muitas outras coisas, também se educa e quem sabe se há segunda não se tornam irresistíveis?!  
No entanto, ficando pelos doces, deixo-vos uma receita diferente que experimentei já há algum tempo. E esta, talvez por ser doce, conquistou-me de imediato!


Ingredientes Massa:

225 gr. de farinha com fermento;
225 gr de margarina;
225 gr. de queijo para barrar*;

Ingredientes Recheio**:

Canela em pó q.b.;
Uvas passas q.b.

Ingredientes fondant:

100 gr de açúcar de pasteleiro;
1 ou 2 colheres das de sopa de sumo de limão.

Preparação:

1.    Comecei pela massa, assim esfarelei a manteiga na farinha até ficar em migalhas;
2.    Adicionei o queijo creme até formar uma massa macia;
3.    Envolvi a massa com película aderente e reservei no frio durante 1 hora;
4.    Passado este tempo desembrulhei e amassei a massa sobre um superfície enfarinhada até ficar leve e não pegar;
5.    Estendi, com a ajuda de um rolo, a amassa no formato de um rectângulo;
6.    Polvilhei-o com canela e com as frutas cristalizadas cortadas em pequenos pedaços;
7.    Enrolei em forma de torta;
8.    Cortei fatias com cerca de 2 ½ cm de espessura;
9.    Coloquei as fatias num tabuleiro devidamente forrado com papel vegetal;
10. Deixei cozer durante 20 minutos ou até estarem firmes e douradas;
11. Por fim preparei o fondant, para tal peneirei o açúcar de pasteleiro e juntei o sumo de limão;
12. Verti-o sobre os caracóis ainda quentes.


* A receita original referia requeijão ou ricotta, como em casa não tinha nem um, nem outro, utilizei queijo creme de barrar.
* * Na receita original existem várias opções para o recheio para além das passas, tais como frutas cristalizadas e doce.



Fonte: Hurst, Bernice; Colecção Tentação culinária – sobremesas, 1996 Quintet Publishing Limited. 


Sem comentários:

Enviar um comentário