Páginas

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Patê de Delicias do Mar


Porque ainda estamos no Verão e pelo menos no meu caso a minha alma e o meu espirito pedem destas coisas, deixo-vos a sugestão de um patê de delícias do mar. Encontrei este repasto no Blogue da Colher de Pau, As Minhas Receitas, decidi experimentar e confesso que não me arrependi. Este manjar constitui uma bela entrada, mas no meu caso, com uma linguiça caseira assada “à bombeiro”, com umas fatias de pão caseiro e um vinho verde bem fresquinho constituiu o jantar perfeito.





Ingredientes:


250 gr. de delícias do mar;

200 gr. de maionese;

4 ovos cozidos.


Preparação:
  1. Depois de descongeladas piquei grosseiramente as delícias do mar;
  2. Adotei o mesmo processo com os ovos cozido;
  3. Acrescentei a maionese e misturei tudo;
  4. Adicionei um pouco de sal;
  5. Levei ao frigorífico para refrescar até à hora de servir.  


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Biscoitos de Orelha e um Café com Vista para as Portas da Cidade.


Hoje não vos deixo uma receita, mas sim uma sugestão vinda diretamente das minhas férias de Verão. Nos últimos Verões tenho feito uns períplos pelos Açores. Este ano foi a vez de Santa Maria e aproveitei para fazer uma escapadinha até São Miguel.


Normalmente quando visito um lugar gosto de saber quais os pratos típicos e os doces regionais. Sempre que possível gosto de presentear algumas pessoas com essas iguarias. É como se proporcionássemos à pessoa que os recebe um bocadinho do sítio que visitámos. Os pratos típicos e os doces regionais dizem muito sobre o lugar e sobre a história gastronómica do mesmo. Estes dizem-nos e falam-nos da imaginação e do carácter criativo que os habitantes tiveram numa altura em que, não haviam supermercados, e só com os produtos locais se criavam iguarias que mais tarde se transformavam  na identidade de um povo.


Este ano, diretamente da Ilha de Santa Maria, trouxe comigo Biscoitos de Orelha. Tratam-se de uns biscoitos tenros e estaladiços, com um formato peculiar e original que só nos deixam imaginar os segredos e a perícia das mãos experientes e habilidosas que os moldam. 




O nome destes biscoitos deu aso a um momento muito divertido. A uma das pessoas a quem presentei com estes biscoitos disse, “olha que estes biscoitos são daqui” e a acompanhar esta frase toquei na ponta da minha orelha. Pelo menos na minha Ilha usamos a expressão “é da ponta da orelha” que significa que é muito bom. A pessoa em questão, como boa Jorgense que é, não associou ao nome do biscoito, mas sim à expressão. Depois de provar e achar que eram da ponta da orelha é que ao olhar para a embalagem viu o nome e acrescentou “ai são mesmo Biscoitos de Orelha”. Foi uma risota pegada.   


Por isso, a fazer lembrar os meus mergulhos na Praia Formosa, na Baia dos Anjos, os passeios pela Baia de São Lourenço e pelo vertiginoso Farol da Maia deixo-vos estes Biscoitos de Orelha com sabor a Santa Maria.



                                                     Praia Formosa - Ilha de Santa Maria

 
Anjos - Ilha de Santa Maria

São Lourenço - Ilha de Santa Maria

Farol da Maia - Ilha de Santa Maria


E para os acompanhar um belo café com vista para as Portas da Cidade em São Miguel, que nos leva pela marginal de Ponta Delgada até às Portas do Mar e de novo seguimos viagem para outro porto. 


 Largo da Matriz Ponta Delgada - Ilha de São Miguel

 Avenida Infante Dom Henrique Ponta Delgada - Ilha de São Miguel

Portas do Mar Ponta Delgada - Ilha de São Miguel


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Sangria e um Brinde ao Verão



No Verão apetece destas coisas, refrescantes, saborosas e que nos deixam um final de boca com sabor à própria estação. Por isso nada melhor, para degustar com amigos nas noites de Verão, do que uma bela Sangria. E asseguro-vos que esta foi um verdadeiro sucesso.

A Sangria que vos deixo constituiu a minha estreia. Não na parte do degustar;) mas sim na parte da confeção. Como nunca tinha feito, inspirei-me numa receita que encontrei no blogue Acre e Doce, mas com algumas alterações que foram de encontro ao que tinha e ao que não tinha em casa. No entanto podem ver a receita que inspirou esta no blogue indicado.






Ingredientes:

1 garrafa de espumante rose;
½ litro de gasosa (usei Sprite tal como indicado na receita original);
1 fatia de melancia;
1 nectarina cortada em triângulos;
1 laranja cortada em triângulos;
1 mão cheia de uvas cortadas ao meio;
1 dl de vinho do porto;
2 paus de canela;
60 gr de açúcar (usei metade amarelo e metade normal).



Preparação:
  1. Num jarro coloquei os líquidos com o açúcar e mexi até este estar dissolvido;
  2. Depois acrescentei as frutas devidamente cortadas e a canela;
  3. Coloquei no frigorífico várias horas antes de servir de forma a estar bem fresca.