Páginas

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Bacalhau à Gomes Sá Temperado com Tempestade

Hoje depois de um dia de mau tempo, em que nos encontrávamos sob alerta da protecção civil e em que foi impossível colocar de lado a sensação de perplexidade perante a tragédia e o desespero de alguém, que tão próximo de nós, passou por momentos de aflição e pânico, apetecia-me um sopa reconfortante. 

Mas, como já tinha bacalhau a demolhar, prossegui com os planos iniciais - Bacalhau à Gomes Sá.
Não que tenha ficado triste pelo facto de jantar Bacalhau à Gomes Sá, que adoro. No entanto, hoje a sua confecção não foi feita de forma tão efusiva como é costume.

Desta vez o meu pensamento estava centrado na tragédia que assolou a minha Ilha na madrugada de segunda-feira, quando nada se previa. Houve caminhos cujo alcatrão desapareceu para dar lugar a ribeiras, casas inundadas e pessoas desalojadas. Também o facto de ontem ter dormido mal, por causa deste acontecimento, não ajudou ao meu estado de espírito de hoje. 

O facto de uma situação destas ocorrer tão próximo de nós, com pessoas que conhecemos e sem que nada se fazesse esperar, faz-nos efectivamente ter a noção da nossa pequenez e insignificância.

Nós não controlamos a natureza, esta deixa-nos ter essa ilusão, mas de facto somos nós que somos controlados por esta e de um momento para o outro podemos passar de uma situação estável a uma de desespero total. 

Bem, mas para reconfortar a alma e aliviar um pouco estes pensamentos, deixo-os com um Bacalhau à Gomes Sá.  





Ingredientes:

2 postas de bacalhau demolhado de véspera;
4 batatas médias;
1 cebola grande;
2 dentes de alho;
4 colheres das de sopa de azeite;
1 ovo:
Azeitonas q.b.;
Salsa;
Sal;
Pimenta;
1 folha de louro;
Pimenta da jamaica.


Preparação :

  1. Cozer o bacalhau, limpá-lo de espinhas e de peles e lascá-lo grosseiramente;
  2. Lavar as batatas e cozê-las cortadas ao meio mas ainda com casca, temperar com sal;
  3. Depois de cozidas pelá-las e cortá-las aos cubos;
  4. Cozer o ovo, descascá-lo e cortá-lo em rodelas;
  5. Descascar as cebolas e o alho;
  6. Cortar a cebola em meias luas e os alhos em rodelas;
  7. Numa sertã ou tacho, colocar o azeite, onde se aloura a cebola e os alhos e se acrescentar o louro e a jamaica;
  8. Mais tarde adiciona-se o bacalhau e mexe-se tudo;
  9. Liga-se o forno;
  10. Num recipiente que possa ir ao forno colocam-se as batatas e o preparado anterior, ao qual se rejeitou o louro e a jamaica;
  11. Mistura-se tudo delicadamente, rega-se com azeite e vai ao forno até estar coradinho;
  12. Por fim, decora-se com as azeitonas, os ovos e a salsa picada. 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Bolo com Frutos Secos e Pasta de Açúcar e o Aniversário da Minha Mãe

Hoje foi o aniversário de alguém muito especial para mim, a minha mãe. Como já é tradição eu faço o jantar de aniversário dela e ela faz o meu. Faço-o com muito gosto, não só porque gosto de cozinhar e passar uma bela tarde entre tachos e panelas, mas principalmente porque gosto muito dela. E, para mim, cozinhar está intimamente ligado ao amor e aos afectos. É com muito gosto e satisfação que preparo o repasto todo a pensar nela. Sim, porque cozinhar em especifico para alguém, é uma oportunidade de nós pensarmos na pessoa: nas suas características, nos sentimentos que nutrimos por ela, na forma que ela nos influenciou, na forma como ela gosta de nós e nós dela. 

E em relação à minha mãe é difícil encontrar palavras para descrever os sentimentos que nutro por ela, acho que tudo se podia resumir com uma frase que é banal, mas que não deixa de não ser verdadeira para cada um que a sente. Ela é, para mim, a melhor mãe do mundo.

Muito do que sou devo a ela, não só as parecenças físicas, mas também aos seus ensinamentos, à forma como que educou, aos conselhos que me dá, e à forma como me ama incondicionalmente.

Por isso, para a minha mãe, que sempre me surpreendeu e me continua a surpreender com as suas conquistas que por vezes poderiam parecer improváveis,  e de quem tenho muito orgulho, aqui fica um bolo de aniversário muito especial, para alguém igualmente muito especial.  






Ingredientes Bolo:*

4 ovos;
250 gr. farinha + para polvilhar a forma;
1 colher das se sopa de fermento em pó;
200 gr. de açúcar;
150 gr. de manteiga + para untar a forma;
100 gr. de miolo de noz moído;
100 gr. de avelãs moídas.


Ingredientes para o Recheio:

1 lata de leite condensado cozido.


Ingredientes para a Cobertura: 

1 kg de Pasta de açúcar ou pasta americana (usei cor de pele);
Corante vermelho.


Preparação do Bolo:
  1. Ligar o forno;
  2. Untar e polvilhar a forma (usei uma redonda);
  3. Bater o açúcar com a manteiga até formar um creme liso e espesso;
  4. Juntar os ovos um a um e batendo sempre;
  5. Incorporar a farinha e o fermento;
  6. Por fim adicionar o miolo de noz moído.

Preparação do Recheio e cobertura:
  1. Coloquei o bolo de noz, por seu mais escuro no fundo do prato onde pretendia servir o bolo e barrei o topo deste com leite condensado cozido;
  2. Sobrepus o bolo de avelã;
  3. Barrei todo o bolo com o restante creme;
  4. Estendi parte da pasta de açúcar com a ajuda de um rolo de cozinha e com a ajuda deste coloquei a pasta em cima do bolo;
  5. Moldei a pasta ao bolo e cortei o excesso;
  6. Apliquei corante numa parte da restante pasta;
  7. Moldei um laço, tiras e bolas que cortei com a ajuda de um cortador;
  8. Apliquei ao bolo. 
Devo confessar que para minha primeira experiência com pasta de açúcar fiquei bastante satisfeita comigo própria.



* Como depois de fazer o bolo e cortar a parte superior este parecia muito baixo repeti a receita, ou seja, usei o dobro dos ingredientes à excepção das nozes que não tinha em casa. Assim, no segundo bolo substitui as nozes por avelãs e não me arrependi.  

domingo, 28 de outubro de 2012

Manteiga de Alho e Salsa com Pão Caseiro e a Lembrança da Minha Avó

Lá fora a chuva cai e a saudade deixa-nos um sabor salgado na boca, um aperto no peito e um nó na garganta. Hoje seria o aniversário de nascimento da minha avó materna, a avó L., sempre lembrado, não só porque é um dia antes do da minha mãe, mas também porque foi a única avó que conheci e da qual tenho boas lembranças. Neste dia a avó L. completaria 92 primaveras, mais 30 que a minha mãe e mais 60 que eu. Da avó L. lembro sempre a sua imensa bondade e paciência, a capacidade subtil que tinha em transformar uma tragédia num episódio banal, sem que quase ninguém se apercebe-se. Lembro que ficava impressionada de a ver sentada na mesma posição durante muito tempo, sem nunca se mexer, enquanto levava a cabo alguma tarefa. Sim, porque a avó L. nunca parava. Lembro os seus imensos cabelos longos que apanhava todas as manhãs num apanhado elaborado, que as suas mãos experientes e habilidosas pareciam transmitir que se tratava de um procedimento fácil e acessível a qualquer um. Lembro-me de a ver cuidar de todos e de ter a capacidade de transmitir serenidade a quem a rodeava. Lembro-me de correr para junto dela quando esta ia dar comida aos animais e dizer "eu ajudo-te avó", hoje sei que mais atrasava do que adiantava, mas, mesmo assim, a avó L. sorria e nunca rejeitava a minha ajuda. Lembro-me de a ver na cozinha, junto ao lume e ao forno de lenha, fazia mover e rodopiar tachos e panelas com habilidade e sabedoria, tinha um sorriso no rosto, movia-se com destreza, como se pertencesse àquele lugar e ele a ela. 
Por isso, hoje em especial, lembro a minha avó L., porque acredito que de alguma forma as pessoas e a sua essência continua a perdurar através de lembranças e através da repetição dos nossos gestos, e porque não das nossas receitas, que no fundo marcam a nossa história e perduram para além de nós.
Assim, deixo-vos com uma fatia de pão caseiro, feito com com os ensinamentos que a minha avó passou à minha mãe e que esta está a passar a mim. Para o acompanhar deixo-vos a receita de manteiga de alho e salsa. 
  


Ingredientes:

125 g. de manteiga (usei milhafre - produto açoriano);
1 dente de alho;
1 colher das de sopa de salsa picada.

Preparação:
  1. Deixei a manteiga à temperatura ambiente;
  2. Piquei a salsa e o alho de forma bem miudinha;
  3. Adicionei à manteiga e misturei tudo;
  4. Está pronta a consumir, como sobrou guardei o resto no frigorífico dentro de uma antiga embalagem de manteiga.

sábado, 27 de outubro de 2012

Scones com Doce de Uva

Pois é, hoje que podia dormir mais algum tempo consegui a proeza de acordar antes do despertador. Depois de responder a algumas mensagens, decido ocupar o meu tempo na cozinha e saíram estes scones quentinhos, que acompanhei com doce de uva e se revelaram um excelente pequeno-almoço. 




Ingredientes:

225 gr. de farinha;
40 gr. de açucar;
1 ovo batido;
1 colher das de sopa de manteiga;
6 colheres das de sopa de leite;
1 colher das de chá bem cheia de fermento;
1 pitada de sal.


Preparação:
  1. Aquecer o forno e forrar um tabuleiro com papel vegetal;
  2. Numa tigela colocar todos os ingredientes;
  3. Encorporar todos os ingredientes, mas sem amassar muito;
  4. Tender bolinhas e colocar no tabuleiro;
  5. Levar ao forno a cozer durante 10 a 15 minutos;
  6. Acompanhei com doce de uva caseiro.
Fonte: A receita dos scones é deste blog 

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Filetes de Veja com Azeitonas e Pimentos

Hoje ao sair de casa deparei-me com um dia lindo um sol radioso, um mar espantosamente calmo e um Pico  alto e majestivo e completamente descoberto. Tirei uns segundos para o apreciar. A ilha estendia-se graciosa e pachorenta ao longo da linha do horizonte, e nesta destaca-se a montanha em toda a sua altivez. O dia estava tão bonito e límpido que era possível,  mesmo ao longe, vislumbrar o pequeno pico que encima a montanha e do qual parecem escorrer as imponentes ravinas que se alongam até ao sopé da montanha e depois de confundem com a própria ilha. 
Ao ver esta paisagem pensei automaticamente na L., e na conversa que tivemos há uns dias sobre o Pico. Pensei também que esta paisagem daria um linda fotografia, se fosse tiradas pelas mãos da dela, uma foto que iria fazer jus à paisagem que os olhos conseguem admirar. 
Por isso, às belezas paisagísticas, às fotografias que lhe fazem jus e à L. aqui ficam uns filetes de Veja temperados com azeitonas e pimentos. 




Ingredientes:

2 colheres das de sopa de vinho branco;
2 colheres das de chá de massa malagueta;
sal q.b.;
3 colheres das de sopa de azeitonas cortadas em rodelas;
1/4 de pimento (usei verde porque era o que tinha em casa, mas pode-se usar vermelho que até dá otro colorido ao prato);
3 colheres das de sopa de azeite;
5 filetes de veja.


Preparação:

  1. Temperar os filetes com sal e deixar repousar durante 20 minutos;
  2. Numa tigela misturar os restantes ingredientes;
  3. Colocar os filetes num travessa ou tabuleiro que possa ir ao forno ;
  4. Envolver os filetes com o preparado anterior;
  5. Levar os forno até estarem cozidos.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Salada de Atum com Molho de Mostarda


Mais uma salada, de facto as saladas podem ser infinitas, basta haver criatividade. Desta feita decidi jogar com o molho e ter como principal condimento a mostarda e sabem, não me sai nada mal, aqui fica receita se quiserem experimentar.




Ingredientes Salada:

Alface;
1 lata de atum Santa Catarina;
1 ovos cozidos;
Sal para temperar;
Azeite para temperar;


Ingredientes Molho:

1 iogurte natural;
Sal fino q.b.;
1 colher das de chá de mostarda;
2 colheres das de chá de ketchup;
1 colher das de sopa de sumo de limão.

Preparação:

1.    Cozer os ovos em água e quando estiverem cozidos descascá-los e cortá-los em quartos;
2.    Lavar a alface e cortar grosseiramente, temperar com sal e azeite;
3.    Por cima colocar o atum e os ovos;
4. Numa tigela pequena juntar todos os ingredientes e misturar até ter a consistência de um molho espesso, rectificar os temperos e colocar por cima da salada, no final adicionei avelãs.


terça-feira, 23 de outubro de 2012

Estufado de Legumes com Ovo Escalfado

Hoje de manhã ao abrir os olhos a luz vinda da janela pareceu-me muito fraca e difusa. Ao espreitar pela janela comprovava-se, parecia mesmo um dia de Outono a pender para o Inverno. Por isso passei o dia com aquela sensação de precisar de algo quentinho, bom e aconchegante. E como a chegada do frio pede comidas de tacho, partilho com vocês aquele que foi o meu jantar. Simples, rápido e reconfortante. 



Ingredientes: 

1/2 embalagem de grão de bico (usei já cozido);
1 tomate;
1 cenoura;
Folhas de Agrião;
1 ovo por pessoa;
1/2 cebola;
2 dentes de alho;
Sal;
1/2 colher das de sopa de massa malagueta;
3 bagas de pimenta da jamaica;
2 colheres das de sopa de azeite;
1 folha de louro.


Preparação:
  1. Num tacho colocar o azeite deixar aquecer, adicionar a cebola picada e os alhos também eles picados;
  2. Deixar refogar até a cebola começar a ficar transparente;
  3. Adicionar o tomate picado ao qual se rejeitou as pevides e a pele;
  4. Deixar cozinha até este estar despeito;
  5. Entretanto acrescentar o louro, a jamaica e o massa malagueta; 
  6. De seguida colocar o grão de bico e deixar cozer mais um pouco mais no sumo que foi libertado pelo tomate;
  7. Adicionar a cenoura cortada em rodelas e deixar cozer;
  8. Temperar com sal e ir acrescentando água mas não em demasia; 
  9. Quando estiver quase cozido colocar as folhas de agrião e deixar cozer;
  10. Num tacho à parte aquecer água e escalfar os ovos, um por pessoa, ou mais consoante os gostos e os apetites;
  11. Por fim, servir o ovo em cima do estufado, deixei o meu ovo com a gema mole pois gosto de o abrir e desta se espalhar por cima do estufado, tal como gosto de fazer com a açorda que fica para outro dia ;) 

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Bolo Mais que Bom


Depois de uma semana na vizinha Ilha Terceira com a M., a comer coisas fantásticas, mas que infelizmente não contemplam todos os grupos da roda dos alimentos, ao chegar a casa trazia a promessa de algo saudável.

Mas não, apetecia-me algo diferente, bolo, e eis que me lembrei de uma receita que tinha visto numa revista. Sabem, a minha memória e a minha imaginação são assim, no que toca a comida e mais concretamente em contrariar uma dieta saudável, são férteis e pródigas.

E porque há dias assim, que nos apetece algo especifico e geralmente nunca saudável, deixo-vos com um bolo que, como o nome indica, é mais que bom.


Ingredientes:

350 gr. de açúcar;
200 gr. de farinha;
200 gr. de chocolate granulado;
150 gr. de cocô ralado;
150 gr. de manteiga amolecida;
5 ovos;
2 dl. De leite;
1 colher das de sobremesa de fermento em pó;
Manteiga para untar;
Farinha para polvilhar.

Preparação:

  1. Ligar o forno na temperatura que costuma usar para fazer bolos (pois cada forno tem a sua manha);
  2. Untar e polvilhar a forma;
  3. Numa tigela, bater o açúcar e a manteiga até obter um creme liso;
  4. Separar as gemas das claras;
  5. Juntar ao preparado anterior as gemas e bater bem;
  6. Incorporar o leite, a farinha e o fermento;
  7. Envolver as claras;
  8. Adicionar o cocô e o chocolate;
  9. Coloque o preparado na forma e levar ao forno durante aproximadamente 50 minutos ou até estar totalmente cozido.

Fonte: Adaptado da revista teleculinária n.º1727 de 14/05/2012.



quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Empada de Sardinha


Tinha já há alguns dias umas sardinhas que tinham sobrado de um churrasco em família. De dia para dia quando abria a porta do frigorífico vi-as lá, tristes e com um ar renegado. Confesso, até não sou nada esquisita para comer comida requentada, na minha opinião alguma até fica melhor consumida no dia seguinte. Mas para mim não é o caso das sardinhas que adoro e lambo os dedos, mas tem que ser no dia em que são confeccionadas

Foi então que uma bela tarde decidi acabar com o seu estado de melancolia e transforma-las numa empada.



Ingredientes:

2 embalagens de massa quebrada de compra;
6 sardinhas assadas;
3 colheres das de sopa de azeite;
1 cebola média;
1 tomate médio;
2 dentes de alho;
½ folha de louro;
3 bagas de pimenta da Jamaica;
2 colheres das de sopa de polpa de tomate;
1 colher das de chá de massa de pimentão;
1 colher das de chá de massa de malagueta;
½ copo de vinho branco;
1 ramo de salsa;
1 colher das de sopa de pão ralado;
1 gema de ovo.


Preparação:

  1. Limpar as sardinhas das ovas e das espinhas;
  2. Picar a cebola em meias luas e laminar os dentes de alho;
  3. Numa sertã funda ou num wok colocar o azeite e deixar aquecer;



  4. Juntar a cebola e os dentes de alho até a cebola estar transparente;
  5. Juntar o tomate ficado em cubos, o louro, a jamaica, a polpa de tomate, a massa de pimentão e a malagueta;
  6. Deixar apurar, juntar o vinho de deixar apurar novamente;
  7. Quando estiver apurado acrescentar a salsa picada;
  8. Deixar cozer mais um minuto e deligar o lume;
  9. Forrar uma tarteira com papel vegetal e por cima colocar um dos discos de massa quebrada;
  10. Ficar a massa com um garfo e depois polvilhar o fundo com pão ralado;
  11. Colocar o preparado anterior por cima;
  12. Em seguida cobris com o outro disco de massa quebrada;
  13. Fazer umas aberturas com a ajuda de uma faca e por fim pincelar com gema de ovo.