Páginas

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O regresso de Férias e o Conforto de um Crepe





É verdade as férias chegaram ao fim, em retrospectiva parece que foram mais de duas semanas. O que para mim é sempre bom sinal. É sinal que renderam que souberam bem, é claro que se ficava sempre mais uns diazinhos. Mas a sensação de satisfação é sinal que deu para desligar, para ver novas paisagens, novos rostos, não ter horários e não correr para nada, poder arrastar o chinelo de forma molengona, mergulhar de forma absorta num bom livro…. Enfim… Férias!

Mas, há que voltar à realidade, arrumar as malas e bagagens e voltar a casa. É um momento que me lembra a distinção feita pelo meu professor de psicopatologia, já há uns anos atrás, entre ansiedade e angústia. Angústia, segundo ele, é uma sensação de tristeza que se caracteriza pela sensação de aperto no peito que se estende à garganta.

Esta sensação marcou o arrumar das malas e a viagem de regresso. No entanto, foi substituída por outra ao colocar as chaves na porta de casa, abrir a porta e deixar que o perfume familiar, daquela que é agora a minha casa, me invadisse. De repente senti-me em casa e fui invadida por um sentimento de conforto e aconchego.

Para dar continuidade a este sentimento, resolvi fazer crepes para o jantar. Para mim os crepes sempre foram sinónimo de comida de conforto. Descobri-os nos anos em que andava na faculdade pela mão da S.. Foram muitas vezes o nosso jantar, rápido, simples, guloso e sempre reconfortante. Comi-os como consumávamos comê-los, com queijo e com creme de chocolate, mas acrescentei xarope de ácer e mel, este último dos açores claro!  


Ingredientes:

7 colheres das de sopa de farinha sem fermento;
1 copo de leite;
1 pinça de sal;
1 ovo;
Óleo para untar a sertã;
Queijo;
Creme de chocolate para barrar.


Preparação:


  1. Num recipiente colocar o ovo, o leite o sal e a farinha;
  2. Bater com a batedeira eléctrica até formar bolhas;
  3. Untar a sertã com óleo vegetal e deixar aquecer;
  4. Colocar aproximadamente uma concha de massa na sertã e espalhar;
  5. Quando tiver um aspecto solidificado virar o crepe;
  6. Acompanhei com queijo, creme de chocolate, xarope de ácer e mel dos Açores.

Sem comentários:

Enviar um comentário